09-05-2018 Mariana Martinho (texto) / Diogo Casimiro (fotos) Imprimir PDF     Print    Print

16 milhões de peças produzidas por ano

Empresas de Santa Catarina e Benedita unidas em marca de cutelarias

Oito empresas de cutelaria do concelho das Caldas da Rainha e de Alcobaça, que no conjunto constituem “um dos cinco principais 'clusters' do setor na Europa”, juntaram-se para criar uma marca comum, "Cutelarias de Santa Catarina e Benedita". Este selo, que vai permitir certificar a cutelaria produzida em cinco empresas da freguesia de Santa Catarina (Ivo Cutelarias, Socutel, Curel, Lombo Ferreiro e Nicul) e três da freguesia da Benedita (Icel, Jero e Sicoeste) foi lançado na passada quinta-feira, no Centro Pastoral de Santa Catarina, tendo sido assinados os termos e utilização do símbolo nas suas peças. Estiveram presentes as empresas parceiras e autarcas das Caldas da Rainha e Alcobaça.

[+] Fotos
Grupo de empresas parceiras, presidentes das respetivas juntas de freguesia e os autarcas das câmaras de Alcobaça e Caldas da Rainha
Com índices de exportação a rondar os 80%, a cutelaria é um dos setores mais importantes dos concelhos de Alcobaça e Caldas da Rainha, cujas empresas irão começar a trabalhar sob uma mesma marca comercial. Nesta primeira fase, a marca conta com a adesão de oito empresas de Santa Catarina (freguesia das Caldas da Rainha) e da Benedita (Freguesia de Alcobaça), mas futuramente há ainda outras duas em espera para se juntarem ao grupo, sendo uma de Caldas da Rainha.
Este projeto começou ser discutido há oito anos, nas reuniões anuais feitas pelos empresários da região. Mas apesar do processo ter sido “longo e por vezes, complicado”, a criação da marca comum junta oito empresas de cutelaria, que no seu todo têm um volume de negócios “superior a 40 milhões de euros” e uma produção de 15 a 16 milhões de peças de cutelaria por ano.
O setor também é “responsável por mais de mil postos de trabalho diretos” e dinamiza um grupo de trabalhadores indiretos, através das fábricas de moldes, embalagens e cortantes.
Nesse sentido, a nova marca comercial trata-se de "um selo de qualidade da região", que segundo o presidente da Câmara de Alcobaça, Paulo Inácio, pela primeira vez “se associa para a promoção conjunta no mercado nacional e internacional”. Além disso, salientou que vai permitir “afirmar ainda mais a marca neste território de excelência deste cluster”, que tem tradições de quase um século ao nível da cutelaria.
O autarca também afirmou que “esta nova marca comercial representa uma oportunidade para reforçar a competitividade e a confiança de um setor de grande tradição nos dois concelhos. A competição é uma realidade inevitável em todos os setores industriais, mas um setor apenas poderá evoluir de forma consistente se os empresários souberem desenvolver parcerias entre si e, inclusive, aprenderem com as diferentes realidades de outros clusters e de outros setores”, sendo uma “mais-valia de futuro para o nosso progresso e desenvolvimento”.
Para o presidente da Câmara das Caldas da Rainha, Tinta Ferreira, as empresas poderão ainda “reforçar a valorização da marca” através da conceção de uma associação do setor que ajude a criar soluções para combater “a dificuldade de mão-de-obra especializada na região” e assim “atrair mais trabalhadores de outras zonas do país”.
O presidente da Junta de Freguesia de Santa Catarina, Rui Rocha, sublinhou que o lançamento da marca é um “marco no reconhecimento desta atividade centenária mas também reflexo da cooperação e do bom entendimento de duas freguesias e dos seus dois concelhos”. Além disso salvaguarda os empresários e os concelhos de “cópias e falsificações dos produtos aqui produzidos”.
Igualmente referiu que este passo dado pelos empresários do ramo das cutelarias deve ser “um exemplo a seguir”, quer pelas duas freguesias, quer pelos dois municípios. Aproveitou ainda para apelar aos dois autarcas dos concelhos de Caldas da Rainha e Alcobaça pelo “melhoramento do nosso principal eixo de circulação rodoviária, o troço da EN360 que deveria ter uma ligação rápida entre o IC2 e A8”, o que iria ajudar a desenvolver as freguesias de Santa Catarina e da Benedita.
Em relação à EN360, Paulo Inácio afirmou que “é uma das prioridades que definimos no nosso projeto estratégico, que está consignado às infraestruturas de Portugal, estando igualmente o presidente da Câmara Municipal das Caldas da Rainha interessado. Em primeira instância, o objetivo é requalificar a estrada que une Alcobaça à Benedita, pois “faz todo o sentido a ligação entre o IC2 e A8” e ainda melhorar a acessibilidade. “Nós não estamos fora desse objetivo mas já há uma prioridade identificada pelo município de Alcobaça junto das infraestruturas de Portugal”, explicou o autarca, esclarecendo que para a requalificação da estrada estão “contabilizado perto de três milhões de euros”.
A presidente da Junta de Freguesia da Benedita, Maria de Lurdes Pedro, salientou o “quanto é importante este projeto para os empresários e para o setor, que se unem e defendem a autenticidade da sua marca e do seu produto. Isso é fundamental”.
Também a presidente da direção da Associação Empresarial da Região Oeste (AIRO), Ana Pacheco, explicou que “a criação da marca dá uma enorme segurança a todos os empresários da cutelaria”, bem como “dá credibilidade aos clientes que não são cópias”.

Logotipo “versátil para os vários tamanhos das lâminas”

A marca, que agora se inscreve nas facas e caixas dos artigos produzidos nas cutelarias locais, foi registada pela AIRO, que serviu de "elo de ligação" entre todas as empresas, e ainda liderou o concurso para a criação do logótipo, ao qual foram apresentadas 16 propostas.
O logótipo da marca "Cutelarias de Santa Catarina e Benedita" foi desenhado por uma jovem de Rio Maior e aluna da Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha, Inês Ferreira, que foi a vencedora do concurso. Na cerimónia de lançamento, a jovem, que recebeu um cheque no valor de 500 euros, explicou que o logótipo “tinha de ser versátil para os vários tamanhos da lâmina, juntando o cabo e lâmina no mesmo símbolo”. Para além do logótipo foi ainda apresentado o site que contém todos produtos locais e uma página nas redes sociais para promoção de marca.
O núcleo regional Santa Catarina/Benedita é aquele, em termos nacionais, onde existe a maior concentração de fábricas de cutelaria, competindo com regiões como Soligen (Alemanha), Thiérry (França), Sheffield (Inglaterra) e Albacete (Espanha).
Tags:

 
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar