10-04-2021 Rui Calisto Imprimir PDF     Print    Print

Escaparate

Associação Mutualista Montepio – Rainha D. Leonor

Vejo com muito bons olhos a eleição que se aproxima na corporação acima descrita, e o motivo é simples: É urgente reafirmar aquela Instituição perante a sociedade, pois, a mesma, vive uma acentuada pasmaceira. Para conseguir sair do quase ponto de não-retorno em que se encontra, as mudanças devem ser profundas, passando por eleger um novo grupo de trabalho à frente do destino daquela casa.

Essa associação mutualista, de vital importância para Caldas da Rainha (e não só), estagnou, parou no tempo, o que gerou uma visível degradação nas suas instalações e uma lastimável prestação de serviços na Casa de Saúde. Inconcebível para uma estrutura com aquela envergadura.
A Lista B, cujo candidato à presidência do Conselho de Administração é o Dr. Francisco Rita, possui (bem como os outros
nomes constantes da mesma Lista – “Por um Novo Montepio”) qualidades de sobra para revigorar aquela Associação,
modernizando-a e oferecendo novamente qualidade no atendimento aos utentes.
A Associação Mutualista Montepio – Rainha D. Leonor, fundada a 11 de março de 1860 com o nome “Montepio Caldense”, agraciada com a Comenda da Ordem da Benemerência no ano de 1960, teve os seus mais recentes projetos em datas já longínquas: A inauguração do Condomínio Residencial (15 de maio de 2011); A Unidade de Diagnóstico e Tratamento Oftalmológico (1998); E o Centro de Apoio aos Idosos Dr. Ernesto Moreira (1995). Depois entrou em ligeiro declínio, chegando aos dias atuais muito fragilizada, como se vê pelos resultados financeiros da Casa da Saúde.
Não entro aqui em discussões político-partidárias, o que importa, neste momento, é resolver as questões relacionadas com a “saúde” da Instituição, e é por isso que vejo com bons olhos a possibilidade da Lista B ser a vencedora.
A eleição no Montepio deve ser caracterizada pela honestidade e pela elevação moral dos participantes. Inclusive, pensando mais longe, deve estar pautada, em toda a sua extensão, pelo traço da verdadeira Democracia, aquela que foi apregoada no dia 25 de abril de 1974 como sendo a salvação do país.
Nesses mesmos moldes, com a mesma consciência democrática, porém muitos anos antes, aquando da sua fundação, foi inserido naquela casa o espírito do mutualismo, que significa “...um tipo de associação entre populações diferentes, e em que todas se beneficiam...”. O Montepio existe para quem dele necessita, assim deve ser a simbiose, a interação
Montepio/população.
Nos últimos mandatos os valores de entreajuda, solidariedade, liberdade, responsabilidade, etc., têm, aos poucos,
desaparecido do Montepio, e isso não é obra do acaso, é, certamente, fruto de um pensamento pouco humanitário, típico de quem assume cargos pensando apenas em alçar voos políticos. Aqueles que assumem responsabilidades sociais não podem, nem devem, esquecer-se da população em geral, e muito menos de quem os elegeu.
Fazer do Montepio um exemplo social para o país deve ser a forma de estar na vida de quem é eleito, dando resposta às
carências de distintos indivíduos e famílias.
O mutualismo envolve cerca de 150 milhões de pessoas ao redor do planeta, e cumpre uma relevante função social, e
económica, em inúmeros países, nos campos da proteção social e, claro, da prestação de incalculáveis cuidados de saúde.
Nas Caldas da Rainha não pode ser diferente, por isso, os sócios, da Associação Mutualista Montepio – Rainha D. Leonor,
devem dar a sua confiança à Lista B, elegendo o Dr. Francisco Rita para a presidência do Conselho de Administração.
Pela Democracia, pela Saúde de todos, por um Montepio com Futuro.
Tags:

 
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar