11-07-2021 Imprimir PDF     Print    Print

Peça do Centro de Artes integra projeto “Museu na Aldeia”

Na aldeia da Ateanha, em Ansião, foi colocada uma peça do Centro de Artes das Caldas da Rainha, a obra “David´s Bench”, uma escultura em mármore feita pela artista alemã Susanne Paucker e que pesa mais de três toneladas, para ser apreciada até 21 de julho.

Escultura em mármore pesa três toneladas e foi instalada em Ansião
“David's Bench” ou, em português, “Banco de David”, dirige o seu olhar sobre a vastidão do vale, com as montanhas recortadas no horizonte, chamando a atenção para a beleza da paisagem. Acentuando um lado humano que frequentemente está presente nas suas composições, a escultora criou um banco que convida a sentar sobre a própria peça. Ela torna-se assim, não apenas uma obra de arte, mas também um objeto de utilidade quotidiana.
A escultura “David’s Bench” representa o olho da estátua “David”, de Miguel Angelo (1475- 1564), a mais famosa escultura do Renascimento italiano e uma das mais reconhecíveis estátuas de toda a história da arte. A escultora que realizou esta peça no simpósio de escultura nas Caldas da Rainha em 2014, escolheu reproduzir apenas uma pequena parte do rosto da estátua, aumentando a escala para grandes dimensões.
A obra captura o espírito da composição original e a expressão desafiante e determinada de David, o jovem herói bíblico que perante a ameaça do gigante Golias, o vence. A autora procura com a realização desta escultura, chamar-nos a atenção para a importância do olhar: é através dele que nos relacionamos com o mundo, mas é também por ele que os outros nos podem (realmente) ver, ou como diz o povo, “os olhos são a janela da alma”.
A iniciativa faz parte do projeto “Museu na Aldeia”, onde treze aldeias recebem as peças de treze museus do território da Rede Cultura 2027, que candidata Leiria a Capital Europeia da Cultura.
A partir de objetos que os participantes das aldeias tinham em casa, desenvolveu-se e esclareceu-se a ideia de museu e do valor museológico. Depois, os objetos de cada museu foram apresentados à comunidade. O projeto decorre até ao fim de 2022, ano em que as aldeias vão ao museu apresentar a reinterpretação das peças.
O “Museu na Aldeia” arrancou em dezembro de 2020, em Mosteiro (Pedrógão Grande), e pretende, acima de tudo, chegar a idosos autónomos com mais de 65 anos que vivam em comunidades mais isoladas e que se encontrem em solidão.
Inclui as localidades de Fetelaria (Sobral de Monte Agraço), Freixianda (Ourém), Cabeças (Alvaiázere), Columbeira (Bombarral), Pena e Casal da Pena (Torres Novas), Casal de Santo António (Porto de Mós), Louriceira de Cima (Arruda dos Vinhos), Alcanadas (Batalha), Fanhais (Nazaré), Ateanha (Ansião), Folgarosa (Torres Vedras) e Cercal (Cadaval).
Os espaços museológicos participantes são o Museu do Vidro (Marinha Grande), Museu Casa do Tempo (Castanheira de Pera), Museu de Leiria, Museu da Arte Popular Portuguesa (Pombal), Museu e Centro de Artes (Figueiró dos Vinhos), Museu Municipal de Alenquer, Museu da Lourinhã, Rede Museológica do Concelho de Peniche, Rede de Museus e Galerias de Óbidos, Centro de Artes das Caldas da Rainha, Museu Raul da Bernarda (Alcobaça), Museu de Aguarela Roque Gameiro (Alcanena) e Centro de Estudos em Fotografia de Tomar.
Tags:

 
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar