03-07-2019 Imprimir PDF     Print    Print

Pelotão multinacional vai pedalar no Oeste

O 42º Grande Prémio Internacional de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho, que vai realizar-se entre 11 e 14 de julho, foi apresentado na semana passada. A corrida portuguesa há mais tempo inscrita no calendário da União Ciclista Internacional, vai juntar um pelotão de 132 corredores, defendendo as cores de 22 equipas.

Entre equipas e corredores, estarão representados 16 países: África do Sul, Alemanha, Angola, Argentina, Austrália, Canadá, Costa Rica, Espanha, Estados Unidos da América, Guiné Bissau, Holanda, Irlanda, Itália, Paraguai, Portugal e Rússia.
Os ciclistas vão encontrar um percurso variado, que se inicia, pelo quinto ano consecutivo, com um prólogo de oito quilómetros, na freguesia do Turcifal, em Torres Vedras, a disputar ao final da tarde de dia 11 de julho.
A primeira etapa em linha terá 156,8 quilómetros, entre a Adega Cooperativa da Ventosa, em Torres Vedras, (12h40) e Sobral de Monte Agraço (16h20). O percurso, sem grandes dificuldades montanhosas, permite aos velocistas pensar num dia de glória.
A segunda etapa começa na Atouguia da Baleia, em Peniche, às 12h45 de dia 12, e termina, ao cabo de 152,7 quilómetros, no centro de Torres Vedras (16h30). O final acontece à quinta passagem pela meta. Este é o dia do circuito, no sobe e desce da serra da vila do Varatojo. É uma jornada seletiva, capaz de provocar algumas diferenças de tempo.
A corrida termina com a etapa-rainha, 179,3 quilómetros desde a Foz do Arelho (11h45) até ao alto de Montejunto (15h54). A meta coincide com um prémio de montanha de primeira categoria, que será antecedida por três subidas de terceira categoria e uma de primeira, esta apenas a 5,3 quilómetros da contagem de montanha coincidente com a chegada.

Tags:

 
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar