06-06-2012 Lusa, Torres Vedras Lusa / Flávia Calçada Imprimir PDF     Print    Print

Peniche: Lusitânia Gás quer investir mais de meio milhão de euros em unidade de gás natural

Peniche, 06 jun (Lusa) - A Lusitânia Gás tenciona instalar uma unidade de gás natural em Peniche, anunciou hoje o presidente da câmara, referindo que o investimento vai reduzir os custos de produção das fábricas de conservas de peixe.

Peniche, 06 jun (Lusa) - A Lusitânia Gás tenciona instalar uma unidade de gás natural em Peniche, anunciou hoje o presidente da câmara, referindo que o investimento vai reduzir os custos de produção das fábricas de conservas de peixe.

António José Correia (CDU) anunciou à agência Lusa que a empresa pretende investir 750 mil euros na instalação de uma unidade de gás natural, com capacidade para 120 metros cúbicos.

"Trata-se de um investimento fundamental para reduzir os custos de produção das fábricas e afastar quaisquer intenções de deslocalização", sublinhou, acrescentando que a unidade vem "aumentar a competitividade" das indústrias instaladas na cidade piscatória.

O autarca explicou que a unidade vai servir não só clientes industriais, mas também domésticos, permitindo também assim "reduzir a fatura do gás das famílias", sendo 2013 a data estimada para o gás natural chegar a Peniche, se o projeto for aprovado.

A autarquia disponibilizou um terreno municipal localizado em Reserva Ecológica Nacional, junto à Estação de Tratamento de Águas Residuais de Porto Lobos, Atouguia da Baleia.

Neste sentido, a assembleia municipal já deu interesse municipal do projeto, a pedido da câmara municipal, estando o investimento a aguardar deferimento da Secretaria de Estado do Ambiente.

Parte da cidade, adiantou António José Correia, já possui infraestruturas de distribuição de gás canalizado.

A redução de sardinha na costa marítima portuguesa tem dificultado o abastecimento das indústrias conserveiras, importante setor da economia nacional ligado às pescas, um problema que preocupa o Governo, segundo o Ministério da Agricultura e das Pescas.

A ESIP (European Seafood Investments Portugal), uma das fábricas existentes em Peniche e atualmente detida por capitais tailandeses com 780 trabalhadores e a que produz a maior quantidade de latas de conserva do país, tem vindo a abastecer-se de sardinha em Marrocos e no Norte de Espanha.

O transporte do pescado para a fábrica de Peniche tem vindo a aumentar os custos de produção.

A ESIP fatura cerca de 50 a 60 milhões de euros, produzindo 60 toneladas de conservas e fazendo sair das suas instalações 12 camiões de latas de sardinhas e de cavala para exportação por dia.

FYC.

Lusa/Fim

Fonte: VIP - Oeste Global - Jornal Oeste Online / Lusa - © Direitos Reservados (conteúdo exclusivo protegido por contrato)
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar login, ou registar-se, para poder comentar este conteúdo.
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar