11-05-2018 Lusa Lusa / Notícias Imprimir PDF     Print    Print

Câmara de Torres Vedras garante acesso de automóveis ao centro histórico

Torres Vedras, Lisboa, 11 mai (Lusa) - A Câmara de Torres Vedras sublinhou hoje que a circulação automóvel está assegurada no centro histórico da cidade, apesar de ter encerrado ao trânsito algumas ruas, o que gerou o descontentamento de alguns comerciantes.

Numa nota enviada à agência Lusa, a autarquia realça que “não está impedida a circulação automóvel no centro histórico no seu todo”, já que os automóveis continuam a circular na avenida Tenente Coronel João Luís de Moura e nas ruas Almirante Gago Coutinho, da Várzea e da Horta Nova.

Desde 16 de abril que o Largo de São Pedro, cuja igreja abriu ao público há vários meses após obras de restauro, deixou de ser atravessado por veículos e passou a ter uma utilização exclusivamente pedonal, assim como a rua Miguel Bombarda, praça do Município, rua Dr. João de Meneses e praça de Wellington.

Um grupo de comerciantes do largo de São Pedro foi à última Assembleia Municipal para demonstrar o seu descontentamento pelo encerramento ao trânsito na zona.

A autarquia esclareceu hoje que, mesmo nessa zona, a circulação de veículos de emergência, segurança e serviços públicos e as cargas e descargas para comerciantes e moradores são permitidas.

A câmara já tinha testado a medida com o corte ao trânsito aos fins-de-semana no largo de São Pedro, onde desde 2012 é proibido aos automóveis parar ou estacionar.

Entre as alterações previstas, está a criação de novas bolsas de cargas e descargas para o transporte de mercadorias ser efetuado a menos de 50 metros dos estabelecimentos.

Em contrapartida, o centro histórico passou a ser atravessado pelos transportes públicos da cidade, desde 30 de abril.

O município alterou também os sentidos do trânsito na rua Dias Neiva, na rua Cândido dos Reis e na rua dos Polomes.

Com as medidas, fica garantido o acesso também aos parques de estacionamento do Mercado Municipal e do Parque de Santiago, os mais próximos para quem se deslocar a pé ao centro histórico.

O centro histórico da cidade, no distrito de Lisboa, era antes atravessado por mil veículos por dia, a maioria dos quais não estacionava nos parques existentes nessa zona da cidade, com 250 lugares disponíveis.

As medidas visam valorizar o património histórico-cultural, diminuir o ruído e a poluição atmosférica, promover o uso de transportes públicos em detrimento do veículo particular e restituir aos cidadãos o espaço público, segundo a Câmara.

 

FYC // MLS

Lusa/Fim

Fonte: VIP - Oeste Global - Jornal Oeste Online / Lusa - © Direitos Reservados (conteúdo exclusivo protegido por contrato)
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar login, ou registar-se, para poder comentar este conteúdo.
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar