19-07-2018 Cultura, Sociedade, Educação, Lusa Lusa / Notícias Imprimir PDF     Print    Print

BREVES: Cultura

Redação, 19 jul (Lusa) – Notícias breves de Cultura:

 

Série filatélica celebra 49.ª Olimpíada Internacional de Física

 

Os CTT-Correios de Portugal anunciaram a emissão no próximo sábado, da série filatélica que celebra a 49.ª Olimpíada Internacional de Física, que decorre este ano em Lisboa, com a participação de mais de 400 alunos de 94 países.

A emissão filatélica é composta por dois selos, um com o valor facial de 0,53 euros, e uma tiragem de 125 mil exemplares, e outro no valor de um euro, e uma tiragem de 115 mil exemplares, ambos com as dimensões de 40x30,6 milímetros, segundo a mesma fonte.

Os autores das ilustrações são João Machado, em primeiro plano, e Victor Hugo, o responsável pelas ilustrações de fundo.

As Olimpíadas começam precisamente no sábado e prolongam-se até ao dia 29, numa organização da Sociedade Portuguesa de Física.

A Olimpíada Internacional de Física é uma competição anual em física para alunos de escolas secundárias, destinada a promover a física e o desenvolvimento de contactos internacionais no ensino da disciplina.

A primeira edição da Olimpíada aconteceu em 1967, em Varsóvia. Portugal participou pela primeira vez em 1993, na qualidade de observador, e com uma equipa desde 1994.

 

 

XXXVIII Salão Internacional de Pintura Naïf do Estoril

 

O XXXVIII Salão Internacional de Pintura Naïf, que reúne 19 autores, e homenageia a pintora ‘naïf’ Fernanda Azevedo, é inaugurado no dia 28 às 17:30, na galeria de arte do Casino Estoril, nos arredores de Lisboa, anunciou a Estoril-Sol.

“De modo nenhum, podemos concordar com aqueles que afirmam que os pintores ‘naïfs’ são aqueles que não sabem pintar. Antes pelo contrário, são aqueles que pintam como sabem, provenientes das mais diversas profissões e classes sociais”, afirma o diretor da galeria, Nuno Lima de Carvalho, num comunicado.

Nesta edição a homenageada é Fernanda Azevedo, nascida em Torre Dona Chama, em Mirandela, professora do ensino secundário, “artista titular de um currículo vastíssimo, no qual se destaca a participação em importantes salões de pintura ‘naïf’, em diversas cidades europeias”.

“As suas obras distinguem-se por uma linguagem própria, característica dos grandes artistas, tendo como temas preferidos, Lisboa e os seus emblemáticos locais históricos, Cascais e a sua lindíssima baía. Tem mantido ao longo dos anos uma consistente qualidade na elaboração das suas obras, o que a torna numa das principais referências da pintura ‘naïf’ em Portugal”, segundo Lima de Carvalho

Nesta mostra estreiam-se os pintores Deborah Collens, natural de Inglaterra e que desde 2011 reside no Algarve, e Antero Anastácio, nascido em Peniche, onde reside. Os outros artistas representados são A. Barbosa, A. Réu, António Charrinho, Arménio Ferreira, Augusto Pinheiro, Bento Sargento, Carlos Ribeiro Antunes, Conceição Lopes, Dulce Ventura, Elza Filipa, Feliciana, Fernanda Azevedo, Leonel Pereira, Manuel Castro, Maria Vilaça, Nell e Rute Castro.

 

 

Novo álbum de Rod Stewart, “Blood Red Roses”, é editado em setembro

 

O 30.º álbum de estúdio de Rod Stewart, “Blood Red Roses”, é publicado a 28 de setembro, cerca de 50 anos depois de ter assinado o seu primeiro contrato discográfico como artista a solo, anunciou hoje a discográfica Universal Music.

O álbum, coproduzido por Kevin Savigar, que há vários anos colaboradora com o músico inglês, é composto por 13 temas, 16 na edição ‘deluxe’, e o single de apresentação é “Din’t I”.

“Blood Red Roses”, uma coleção “temas originais profundamente pessoais e três versões, o primeiro single, ‘Didn’t I’, aborda as consequências do consumo de drogas, a partir da perspetiva dos pais”, segundo a mesma fonte.

O novo álbum sucede a “Another Country” (2015), durante os seus mais de 50 anos de carreira, o músico vendeu mais de 200 milhões de álbuns e singles,s egundo a mesma fonte.

Em 2016 o músico, nascido há 73 anos em Highgate, a norte de Londres, recebeu o título honorífico de “Sir”, atribuído pela rainha Isabel II de Inglaterra, pelo seu contributo à música e à solidariedade.

 

 

Exposição “Birbante”, de Pedro Henriques patente em Abrantes

 

A exposição “Birbante”, de Pedro Henriques, com curadoria de Nuno Faria, está patente ao até dia 31 de outubro na galeria quARTel da Arte Contemporânea de Abrantes, no Ribatejo.

“Ao todo são 21 peças – desenho, pintura, escultura e fotografia – que ocupam espaços - o solo e as paredes - dos dois pisos da galeria da arte contemporânea, outrora Quartel dos Bombeiros Municipais, espaço que em breve será alvo de uma intervenção de regeneração e ampliação para acolher a coleção - privada - de arte contemporânea portuguesa de Fernando Figueiredo Ribeiro que vai passar para a fruição pública”, segundo comunicado da câmara abrantina enviado à agência Lusa.

A coleção de Fernando Figueiredo Ribeiro é constituída por cerca de 1.800 obras de autores da arte portuguesa das últimas décadas, segundo a mesma fonte.

A autarquia, sobre a exposição “Birbante” destaca o projeto “Mixers”, que valeu a Pedro Henriques o Prémio Novo Banco Revelação 2014, “são imagens de uma mesa de mistura áudio que adquirem especial interesse visual através da aplicação de diversas distorções visuais a fotografias técnicas daquele objeto, depois impressas em placas de madeira recortada”.

Pedro Henriques, de 33 anos, estou pintura na faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, e expõe regularmente desde 2008, este ano apresentou em Madrid, “Matadero”.

 

NL // JPF

Lusa/Fim

Fonte: VIP - Oeste Global - Jornal Oeste Online / Lusa - © Direitos Reservados (conteúdo exclusivo protegido por contrato)
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar login, ou registar-se, para poder comentar este conteúdo.
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar