18-07-2018 Cultura, Política, Lusa, Caldas da Rainha Lusa / Notícias Imprimir PDF     Print    Print

Câmara das Caldas contrai empréstimo de quatro milhões de euros

Caldas da Rainha, Leiria, 18 jul (Lusa) – A Câmara das Caldas da Rainha vai contrair um empréstimo de quatro milhões de euros para avançar com oito projetos cujo financiamento comunitário seria perdido se não fossem executados nos próximos dois anos.

O empréstimo, aprovado na terça-feira à noite pela Assembleia Municipal, destina-se à requalificação de duas escolas, à construção da nova sede da companhia “Teatro da Rainha”, à construção da nova unidade de saúde familiar de Santo Onofre, à requalificação do Centro da Juventude e à reabilitação urbana de três áreas de espaço público.

Fernando Tinta Ferreira, presidente do executivo, explicou na Assembleia Municipal que o recurso ao empréstimo teve por base “um aumento do custo dos projetos” que, aquando da candidatura a fundos comunitários, “havia a perspetiva de serem construídos num determinado valor”, mas que “aquando da conclusão dos projetos subiram mais do que aquelas que eram as estimativas iniciais”.

A totalidade dos investimentos estava estimada em “cerca de 10 milhões de euros”, cofinanciados por fundos comunitários, mas aquando do lançamento do concurso “ao preço do mercado” de quatro concursos [sede do “Teatro da Rainha”, Unidade de Saúde de Santo Onofre, Escola da Encosta do Sol e área cinco da reabilitação urbana), acabaram por ficar desertos.

“Não tivemos alternativa a aumentar o valor base dessas obras”, explicou Tinta Ferreira aos deputados, estimando que o valor global dos investimentos, a realizar em 2019 e 2020, atinja agora “os 15 a 16 milhões de euros”.

De acordo com o autarca, o orçamento da Câmara não possibilita executar aquelas obras “sem recurso ao empréstimo”, o que colocaria em risco “o financiamento comunitário”, afirmou, sustentando a necessidade de recorrer “a esta alavancagem financeira por razões orçamentais”.

A contração do empréstimo de quatro milhões de euros, com um período de carência de dois anos e cujo montante só será utilizado nos anos de 2019 e 2020, foi aprovada por unanimidade.

 

DYA // MCL

Lusa/Fim

Fonte: VIP - Oeste Global - Jornal Oeste Online / Lusa - © Direitos Reservados (conteúdo exclusivo protegido por contrato)
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar login, ou registar-se, para poder comentar este conteúdo.
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar