09-05-2018 Economia, Sociedade, Política, Lusa Lusa / Notícias Imprimir PDF     Print    Print

PS diz que Álvaro Amaro “faltou à verdade” sobre assinatura da concessão do Hotel de Turismo

Guarda, 09 mai (Lusa) - O PS da Guarda disse hoje que o presidente da Câmara "faltou à verdade" ao afirmar que a cidade teve um "tratamento diferenciado" relativamente à assinatura do contrato de concessão do Hotel de Turismo.

A Comissão Política Concelhia Socialista emitiu hoje um comunicado, através do qual refere que o autarca social-democrata Álvaro Amaro afirmou "que o Governo assinou dois contratos de concessão, no âmbito do programa Revive, em Elvas e nas Caldas da Rainha, não o tendo feito na Guarda por vergonha e falta de respeito institucional".

"Falta de respeito institucional é anunciar, antes do Governo, em plena Assembleia Municipal da Guarda, em virtude de uma conversa privada, a adjudicação ao agrupamento de empresas MRG da concessão do Hotel Turismo da Guarda", diz a concelhia liderada por Agostinho Gonçalves.

Na nota, o PS explica que "nenhum contrato de concessão, que fosse incumbência da Secretaria de Estado do Turismo, foi assinado na cidade respetiva".

Segundo o partido, nas Caldas da Rainha, "tal como na Guarda, foi assinado o memorando de entendimento do Revive".

Em Elvas "foi o Município - e não o Governo - que lançou o concurso referente ao Convento de São Paulo, uma vez que o imóvel estava concessionado a esta autarquia".

A concelhia do PS/Guarda congratula-se com a assinatura do contrato de concessão do Hotel Turismo, pois considera que "é mais um passo em frente, o cumprimento de um formalismo, uma etapa de cariz meramente formal: assim o obriga o procedimento de concessão".

No comunicado, o partido anuncia ainda que a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, "estará na Guarda para o assinalar simbólico do início da obra de requalificação do Hotel de Turismo - facto revelador do seu respeito e interesse pela nossa cidade".

"Onde uns perspetivaram a possibilidade de realização de um ‘número' de oportunismo e ‘show off' político, o PS vê o normal desenrolar de um procedimento com formalismos a cumprir", aponta o partido.

O PS finaliza a nota referindo que "o Hotel de Turismo da Guarda será uma realidade, graças ao Governo do PS, com o contributo do PS/Guarda".

O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro, disse na sexta-feira à agência Lusa que o Governo "teve vergonha" de assinar o contrato de concessão de recuperação do Hotel de Turismo naquela cidade, mas manifestou contentamento pela solução encontrada.

Em causa está o contrato de concessão do edifício, assinado entre o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, e representantes do consórcio MRG Property e MRG Construction, de acordo com informação da Secretaria de Estado do Turismo, para o qual a autarquia alegadamente não foi convidada, situação que Álvaro Amaro disse lamentar "profundamente".

"Lamento profundamente só hoje [sexta-feira] ter sabido da assinatura do contrato por um jornalista de uma rádio local e por notícias da Lusa. O lamento é por uma questão institucional, a senhora secretária de Estado do Turismo esteve no passado sábado na Guarda e nada disse, mas ao mesmo tempo sinto contentamento pela intensa luta que travei [pela recuperação do hotel], que valeu a pena", disse o autarca.

Apesar de lamentar ter sido excluído da assinatura do contrato, o autarca manifestou-se "muito contente" com a solução encontrada "que permite devolver o Hotel de Turismo à economia da Guarda e è economia nacional".

 

ASR (JLS) // SSS

Lusa/Fim

Fonte: VIP - Oeste Global - Jornal Oeste Online / Lusa - © Direitos Reservados (conteúdo exclusivo protegido por contrato)
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar login, ou registar-se, para poder comentar este conteúdo.
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar