11-01-2021 Marlene Sousa Imprimir PDF     Print    Print

Nova provedora da Misericórdia diz que “sustentabilidade financeira” é uma das grandes preocupações

Na cerimónia de tomada de posse dos novos órgãos sociais da Santa Casa da Misericórdia das Caldas da Rainha (SCMCR) para o quadriénio 2021-2024, a nova provedora, Maria da Conceição Pereira, disse que “uma das preocupações é a sustentabilidade financeira da instituição enquanto prestadora de serviços para apoiar quem mais precisa”.

[+] Fotos
Maria da Conceição Pereira é a nova provedora
As questões financeiras são um dos principais focos da equipa que tomou posse no dia 10 de janeiro na no edifício sede da SCMCR (ginásio). “Promover a sustentabilidade da Santa Casa é preparar um futuro melhor para a instituição porque sem esse equilíbrio no setor financeiro corremos o risco de não conseguir manter a casa”, apontou a nova responsável.
A provedora explicou que é a “instituição que tem o maior número de valências” e pretende “continuar a dignificar a primeira casa de solidariedade social do concelho, que é uma referência”.
Perante o cenário socioeconómico e financeiro, que no ano 2020 teve mais despesas devido à pandemia, Maria da Conceição Pereira disse que a equipa irá “agarrar este desafio numa altura de crise sanitária com vista a que esta casa consiga cumprir o seu compromisso e também melhorar as infraestruturas do edifício e para isso contamos com a ajuda da autarquia, segurança social e da população e empresas da região através de donativos”.
“Há valências que apenas existem nesta Santa Casa e por isso temos que as preservar, como é o caso do CAT, do Lar da Infância e Juventude, o Centro de Acolhimento Temporário, CLDS 3G | Ponto de Ajuda 3, entre outros”, o que é para Maria da Conceição Pereira uma grande “responsabilidade”.
A nova provedora lembrou que foi feita uma candidatura ao programa Pares para a requalificação da Casa de Repouso no valor de cerca de 100 mil euros. Ainda não há informação da sua aprovação.
Outra missão dos órgãos socais é definir qual o destino a dar à mais recente propriedade que foi adquirida na estrada para a Foz do Arelho (antiga loja de bicicletas).
A provedora elogiou o papel dos órgãos sociais que, em áreas diferentes, irão de uma forma voluntária “servir não só a instituição, mas acima de tudo as pessoas do concelho que nos procurarem”.
Destacou ainda os trabalhadores da instituição, que têm um papel muito importante no funcionamento da casa e que “têm neste contexto da Covid-19 feito um trabalho notável, sabendo ultrapassar as dificuldades e os desafios”.
Segundo indicou, nos últimos testes que fizeram há cerca de uma semana “todos os utentes e colaboradores deram negativo”.
Quanto à vacinação contra a Covid-19 que já arrancou em alguns lares no país, a nova provedora afirmou que não tem ainda informação sobre essa matéria.
Se não fosse a pandemia, a cerimónia de tomada de posse teria sido muito diferente. “Hoje seria o dia em que iriámos comemorar o início do ano com um almoço com todos os trabalhadores, infelizmente não o pudemos fazer nem pudemos convidar para aqui estar connosco neste dia importante outras entidades”, apontou a responsável.
Primeira mulher a liderar os destinos da SCMCR, Maria da Conceição Pereira recordou que “quem fundou as misericórdias foi a Rainha D. Leonor”. Deixou um “agradecimento público” ao presidente cessante, Lalanda Ribeiro, que assistiu à cerimónia de tomada de posse de forma virtual. “Foram 34 anos à frente da instituição e foi realmente uma pessoa extraordinária que se dedicou de corpo e alma, e que alargou as valências da Santa Casa e vai ser difícil substitui-lo”, salientou.
Lalanda Ribeiro disse que não conhece ninguém mais apto para o cargo que Maria da Conceição Pereira, uma vez que foi presidente da Mesa da Assembleia Geral e é vereadora responsável pelo pelouro da ação social.

Tinta Ferreira pede donativos para a Misericórdia

O presidente da Câmara das Caldas não poupou elogios ao provedor cessante, pelo “grande trabalho que desenvolveu à frente da instituição”.
Segundo o autarca, “hoje as pessoas não se lembram da realidade desta casa na entrada de Lalanda Ribeiro”. “Era uma altura de grandes dificuldades e o provedor teve um grande espírito lutador, nunca baixou os braços e dedicou muito de si à instituição, deixando um trabalho notável que deve orgulhar a população do concelho”, salientou.
Sobre o futuro da SCMCR, Tinta Ferreira pediu à comunidade que ajude a instituição para que possa fazer face às valências que tem. “Ao longo do tempo as pessoas sempre tiveram a noção que era preciso apoio dos cidadãos e das nossas empresas para que esta instituição pudesse fazer aquilo que mais ninguém faz, quer no apoio aos mais carenciados quer no apoio a crianças e jovens”, declarou.
Segundo adiantou o autarca, “é uma instituição de referência e presta alguns serviços à comunidade em áreas que mais ninguém tem e para que consiga continuar a desenvolver as suas atividades não é suficiente aquilo que está instituído através dos apoios dos dinheiros públicos”.
Tinta Ferreira também elogiou a nova provedora, considerando que “é a melhor pessoa para a função devido ao conhecimento que tem nesta área e à sua capacidade de trabalho”. O autarca esclareceu que o trabalho da provedora é a título voluntário.

Órgãos Sociais para o quadriénio 2021-2024

Mesa da Assembleia Geral
Presidente – Jorge Varela
Germano Marques
Irene Maria Costa

Mesa Administrativa
Provedora – Maria Conceição Jardim Pereira
Ana Cristina Rodrigues
Carlos Manuel Xavier
Jorge Barosa
Soraia da Silveira
António Cipriano da Silva
Margarida Luís Ferreira
Suplentes – Alberto Pereira
Elizabete Ferreira
José Emanuel Ferreira

Conselho Fiscal
Presidente - Pedro Marques
Filomena Rodrigues
Manuel dos Santos
Alberto Simões Cortez
João Manuel Girão
Armindo Garcia
Tags:

 
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar