13-10-2020 Francisco Gomes Imprimir PDF     Print    Print

Obra na barragem de Alvorninha arranca em fevereiro de 2021

O gabinete do ministério da Agricultura informou que o projeto de execução da intervenção na barragem de Alvorninha, nas Caldas da Rainha, está concluído e o lançamento do procedimento para formação de contrato deverá acontecer no mês de dezembro. “O início da execução da obra está previsto para fevereiro de 2021, tendo um prazo de execução de seis meses”, adiantou.

Será lançada a empreitada para reforço da cortina de impermeabilização
Respondendo a questões colocadas pelos deputados do PSD eleitos pelo círculo de Leiria, o gabinete esclareceu que “estando definida a data de 20 de setembro de 2021 para termo físico e financeiro da operação, e estando prevista a conclusão da obra antes dessa data, não se considera em risco o financiamento da mesma”.
Os deputados do PSD tinham apresentado um requerimento à ministra da agricultura para saber quando é que situação da Barragem de Alvorninha será desbloqueada, para ser posta ao serviço dos agricultores.
Lembraram que foi inaugurada em 2005, no entanto, em 2006 o Laboratório Nacional de Engenharia Civil determinou que a cota de enchimento da barragem teria um limite de 93 metros, o que representa cerca de 5% da capacidade total de armazenamento.
O impasse na resolução deste problema arrasta-se há mais de uma década e em 2017 foi submetida uma candidatura ao Plano de Desenvolvimento Regional 2020 por parte da Direção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo, tendo em vista a resolução dos problemas. A candidatura foi aprovada com a dotação orçamental de 1 209 458,49 euros.
“Em 2020 continuamos à espera da concretização de uma obra essencial para a agricultura da região”, manifestaram os deputados.
O Aproveitamento Hidroagrícola de Alvorninha custou mais de seis milhões de euros e é constituído pela barragem de Alvorninha com um volume possível de armazenamento de 711 mil m3 água, uma área inundada de 11,8 hectares e um escoamento que deveria ter 863 mil m3 num ano médio, e pelas infraestruturas da rede de rega e restantes estruturas que servem de apoio à exploração e conservação da obra de rega, que deveria permitir levar água a uma área de 127 hectares e beneficiar 198 agricultores das freguesias de Alvorninha, Vidais e Salir de Matos.
“Quando será lançada a empreitada para reforço da cortina de impermeabilização, monitorização dos órgãos de segurança e de operação da barragem? Se a empreitada não for lançada de uma forma célere, poderá estar em causa o financiamento? Quando é expectável a execução da obra em questão?”, interrogaram os deputados Hugo Oliveira, Margarida Lopes, Pedro Roque, Olga Silvestre e João Marques.
Tags:

 
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar