10-10-2018 Francisco Gomes Imprimir PDF     Print    Print

Polícia Marítima deteta atividades de pesca ilegal

A Polícia Marítima da Nazaré apreendeu, durante a noite de 26 de setembro, três redes de emalhar conhecidas por “majoeiras”, que se encontravam no areal da praia da Pedra do Ouro, no concelho de Alcobaça, abandonadas pelo seu utilizador que, ao se aperceber da presença da Polícia Marítima, se colocou em fuga.

Artes de pesca ilegais apreendidas

Estas redes são caladas no mar, a partir de terra, e o exercício da pesca com este tipo de arte apenas é permitido entre 1 de outubro e 30 de abril de cada ano, com exceção dos sábados, domingos e feriados, devendo as redes ser identificadas e sinalizadas nos termos definidos na legislação em vigor, delas devendo constar o número de inscrito marítimo ou da licença, e cada extremo da rede deverá ser sinalizado com uma bóia de cor vermelha de pelo menos 20 cm de diâmetro.
No dia 28, a Polícia Marítima da Nazaré apreendeu um aparelho de anzol, conhecido por “corrimão”, com aproximadamente 250 metros de comprimento, e composto por cerca de 125 anzóis, que se encontrava abandonado a norte de São Pedro de Moel, concelho da Marinha Grande.
Esta arte é, normalmente, operada a partir de terra, presa à mão do seu utilizador, não sendo licenciável.
No dia 25, a Polícia Marítima da Nazaré realizou na zona de São Pedro de Moel uma ação de fiscalização à atividade de pesca lúdica na orla costeira.
Foram fiscalizados diversos indivíduos portadores de licença de pesca apeada, tendo-se verificado, fiscalizado e identificado um indivíduo que se encontrava em infração por estar a exercer a apanha proibida de perceves.
A apanha de perceves encontra-se proibida, uma vez que está implementado o período de defeso, de 15 de setembro a 15 de outubro, por motivos biológicos.
Os crustáceos foram apreendidos e doados a uma instituição de solidariedade social.
Tags:

 
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar