28-04-2020 Francisco Gomes Imprimir PDF     Print    Print

Três óbitos de residentes desde o início da pandemia

O concelho das Caldas da Rainha é o que regista mais mortes no Oeste

Foi registada no dia 23 de abril a terceira morte de um doente com Covid-19 com residência no concelho das Caldas da Rainha. Segundo apurou o JORNAL DAS CALDAS, trata-se de um homem na casa dos 60 anos, da freguesia de Alvorninha, que tinha outras complicações de saúde. Faleceu no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

Mapa da situação epidemiológica na região Oeste
No dia 18 de abril foi registada a segunda morte de um doente com residência nas Caldas da Rainha (União de Freguesias de Nossa Senhora do Pópulo, Coto e São Gregório). A vítima foi um homem de 65 anos que se encontrava internado num hospital lisboeta e que também tinha outros problemas de saúde.
A primeira vítima com residência no concelho das Caldas foi uma mulher de 88 anos, de Santa Catarina. Estava num lar naquela freguesia e tinha dado entrada no hospital poucos dias antes do falecimento. A morte, no passado dia 11, levou à realização de testes a 57 utentes e funcionários do lar. Segundo o presidente da Câmara, Tinta Ferreira, todos tiveram resultado negativo.
Até à passada segunda-feira o concelho das Caldas era o que, entre os doze municípios do Oeste, apresentava mais óbitos devido à Covid-19. Para além das três mortes de residentes nas Caldas da Rainha houve mais cinco na região Oeste. No dia 24 de abril, foi registada uma morte em Alcobaça, inscrita na tabela de óbitos da situação epidemiológica apesar de a Câmara Municipal fazer constar que “não está comprovado que tenha relação direta com o novo coronavírus”.
Na Nazaré, a primeira morte ocorrida foi a de uma mulher de 82 anos, no dia 9, no hospital de Leiria, onde estava internada. A segunda vítima mortal neste concelho foi registada no dia 10. Trata-se de um idoso de 94 anos, que estava internado no hospital de Alcobaça.
Um idoso de 78 anos, do Vale Covo, Bombarral, que estava hospitalizado nas Caldas da Rainha com Covid-19, morreu no dia 6.
Na região Oeste a primeira morte aconteceu no dia 1 de abril, no hospital das Caldas da Rainha, onde um idoso de 84 anos, que residia na freguesia da Serra d’El Rei, em Peniche, estava internado por ter sido diagnosticado com Covid-19.
Na maioria dos casos foi relatada a existência de outras complicações de saúde, para além da Covid-19.

79 casos confirmados ativos

Se o concelho das Caldas é o que apresenta mais mortos, não é o que regista mais casos confirmados. No total são 160 na região Oeste, sendo 42 em Torres Vedras, 35 em Alcobaça, 28 em Caldas, 19 em Alenquer, 10 em Peniche, 8 na Lourinhã, 6 no Cadaval, 4 em Arruda dos Vinhos e Bombarral, e 2 na Nazaré e Óbidos. Sobral de Monte Agraço é o único município do Oeste que até ao momento não teve qualquer caso.
Torres Vedras teve mais infetados mas também mais casos recuperados – 31. Na lista de recuperações seguem-se-lhe Caldas da Rainha (15), Alcobaça e Alenquer (6), Cadaval e Lourinhã (4), Peniche (3), Bombarral e Óbidos (2). Um dos casos recuperados de Óbidos diz respeito a um estrangeiro com morada fiscal no concelho, mas não residente, como adiantou a Câmara. Em Arruda dos Vinhos e Nazaré não houve doentes recuperados.
Feito o encontro entre casos confirmados e recuperados, importa saber os casos realmente ativos e aí Alcobaça é o mais problemático, pois tem 28 doentes. Depois aparecem Alenquer (13), Torres Vedras (11), Caldas da Rainha (10), Peniche (6), Lourinhã e Arruda dos Vinhos (4), Cadaval (2) e Lourinhã (1). Óbidos, Nazaré e Sobral de Monte Agraço não têm casos ativos. Os dois casos de Óbidos recuperaram, os dois da Nazaré morreram e o Sobral nunca teve casos.
Em síntese, dos 160 casos confirmados no Oeste, houve 8 mortos e 73 recuperados, estando ativos 79.
Não fazendo parte da região Oeste mas sendo um concelho confinante com o de Caldas da Rainha, em Rio Maior a Proteção Civil divulgou a existência de 16 casos, sendo 10 ativos e 6 recuperados.
No passado fim de semana a diretora-geral da saúde, Graça Freitas, anunciou que os doentes com Covid-19 que estão no domicílio passam a ser considerados recuperados se ao fim de 14 dias tiverem um único teste negativo e já não tiverem sintomas. No caso dos doentes internados em hospitais continua a ser necessário ter dois testes negativos, com um intervalo de 24 horas, para serem considerados recuperados.
Esta é uma alteração que decorre de “evidências científicas, das orientações das organizações internacionais, da experiência dos outros países e da avaliação ao trabalho feito em Portugal”.

Bombarralense morre na América

Foi a própria família que anunciou: Maria José, natural do Salgueiro, no Bombarral, faleceu nos Estados Unidos, onde residia, vítima da Covid-19. Era casada, tinha duas filhas e dois netos.
Tags:

 
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar