06-08-2019 Mariett Matias Imprimir PDF     Print    Print

Autoconhecimento

Hoje começamos com duas perguntas: Já pararam para pensar para quem se vestem? É para vocês ou para os outros (maridos/namorados/famílias/amigos...)? Realmente usam tudo o que têm vontade ou ficam com medo do que os outros possam pensar?

Acredito que sempre me vesti para mim pois uso o que gosto, o que me identifico e que me sinto bem. E assim, já pararam para pensar se são vocês que vestem a roupa ou se é a roupa que se veste de vocês? Quando está no cabide ou nas lojas esta é igual para todas, mas a partir do momento que ela ganha as formas do vosso corpo, estilo, combinações, ganha a vossa identidade.
Então será que vale mesmo a pena vestirem-se a pensar naquilo que os outros irão achar?
É o medo de não ser aceite, de ser querida, da rejeição que vos faz esconder? Não é nada demais quererem adaptar-se a determinado contexto, mas vivemos em sociedade e temos que aprender a interagir a respeitar-nos uns aos outros.
Mas muitas vezes não conseguimos emergir, anulamo-nos, transformamo-nos naquilo que não somos só para ser aceites e aí encontramos o maior problema de não conseguirmos definir um estilo pessoal: o assumir como realmente somos. E chegamos à velha história do deixar de usar determinada peça porque a mãe não gosta, o marido não aprova e os amigos acham feia. E então quando pergunto às minhas clientes qual a imagem que gostam de ter, engasgam-se e ficam momentos em silêncio.
Quantas de vós não sentem isto e não estão a passar por isto sem terem até noção disto? O vestirem-se deve ser um exercício de criatividade e diversão. E no final ao olharem-se no espelho devem gostar do que estão a ver e ter prazer nisso.
Tudo o que visto foi pensado para compor um conjunto único e autêntico que faz sentido para mim, que reflete o meu estado de espírito e o meu estilo de vida. A nossa imagem diz muito sobre nós e no modo como nos expomos para o mundo. Eu não visto para sair de casa. Para outras pessoas. Eu visto-me para mim. Porque sou importante. Porque gosto e aceito-me como sou.
Reencontrarem-se, cuidarem melhor da vossa imagem e sentirem-se satisfeitas diante do espelho, é sinal de respeito próprio. Essa satisfação vem de um lugar: o autoconhecimento. Tenho algumas dúvidas existenciais na vida, mas para mim é certo saber com segurança do que gosto e como me quero expressar.
Tags:

 
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar