22-01-2020 A Comissão de Utentes do Centro Hospitalar do Oeste (CHO) reuniu na passada quarta-feira com diversas entidades para debater a saúde nos concelhos abrangidos pelo CHO. Imprimir PDF     Print    Print

Comissão de Utentes do CHO pede audiência à ministra da saúde para haver manutenção nos hospitais

A Comissão de Utentes do Centro Hospitalar do Oeste (CHO) reuniu na passada quarta-feira com diversas entidades para debater a saúde nos concelhos abrangidos pelo CHO.

A Comissão de Utentes do Centro Hospitalar do Oeste reuniu com diversas entidades para debater a saúde nos concelhos do Oeste

A mesma comissão já pediu uma audiência com a ministra da Saúde, Marta Temido, para recomendar obras de melhoramentos no CHO e ainda a colocação de mais meios humanos e materiais nesta infraestrutura hospitalar.

A falta de obras de melhoramentos e de profissionais e ainda a degradação dos equipamentos foram alguns dos problemas levantados na reunião e que a Comissão de Utentes espera ver consignados com o encontro que solicitou à ministra.

Vítor Dinis, porta-voz da comissão, disse que “a ministra, em julho de 2019, referiu que iria disponibilizar verba para equipamentos, mas negou investimento para obras de melhoramentos no CHO, uma vez que um grupo de trabalho já estava a estudar a criação do novo equipamento para a região”. 

“Independentemente de acreditarmos que a construção do novo hospital do Oeste vai antecipar os dez anos, ainda não sabemos concretamente a data e a verdade é que os edifícios dos hospitais de Caldas, Peniche e Torres Vedras precisam de manutenção”, sublinhou Vítor Dinis. 

O dirigente adiantou que “vamos ter que pressionar a ministra para ‘abrir os cordões à bolsa’, para que haja manutenção e as obras necessárias para o funcionamento dos hospitais”. 

Segundo este responsável, a perspetiva para 2020 “é a colocação de mais pessoal, equipamento e obras de manutenção”, revelando que são “necessárias obras urgentes no hospital de Torres Vedras por causa de infiltrações e necessidade de adaptações de espaço”.

Nesta terceira reunião ficou ainda definido que as entidades que participaram (representantes dos municípios, da OesteCIM - Comunidade Intermunicipal do Oeste, do CHO, dos bombeiros, da GNR, da PSP e da própria comissão de utentes) irão reunir novamente daqui a seis meses para fazer um balanço da proposta de metodologia do estudo de localização, perfil e dimensionamento do Novo Hospital do Oeste, que deverá estar concluída até o final do ano. 

Susana Azevedo, elemento da Comissão de Utentes do CHO, revelou que os bombeiros reclamaram na reunião que estão a suportar o transporte de alguns doentes. “O que está a acontecer é que no transporte entre hospitais do CHO e Lisboa, como não há veículos próprios está a exigir com que, por exemplo, os bombeiros da Lourinhã tenham que se deslocar às Caldas para fazer o transporte de um doente das Caldas para Lisboa, mas depois o pagamento do transporte é feito apenas entre Caldas e Lisboa e não há pagamento entre Lourinhã e as Caldas”, explicou a responsável, revelando que é “um grande prejuízo para os bombeiros”. 

 

A Comissão de Utentes do Centro Hospitalar do Oeste (CHO) reuniu na passada quarta-feira com diversas entidades para debater a saúde nos concelhos abrangidos pelo CHO. 


Tags:

 
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar