04-05-2018 Política, Lusa Lusa / Notícias Imprimir PDF     Print    Print

Obras no centro de saúde de Peniche transferem consultas para hospital

Peniche, Leiria, 03 mai (Lusa) – O Centro de Saúde de Peniche entrou em obras de remodelação, passando os utentes a ser atendidos no hospital da cidade, informou hoje a Administração Regional de Saúde, o que está a ser contestado pelos vereadores do PSD.

As obras, iniciadas a 23 de abril, vão decorrer até ao final do ano e estão orçadas em 950 mil euros, informou a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) à agência Lusa.

A intervenção destina-se a adequar o espaço à instalação futura de duas unidades de saúde familiar (USF) e às necessidades atuais, tornando-as mais eficientes a prestar melhores cuidados de saúde à população.

Para minimizar eventuais incómodos para os utentes, as obras vão decorrer em duas fases e o atendimento é efetuado no segundo piso do hospital de Peniche, contíguo ao centro de saúde.

Os vereadores do PSD na câmara de Peniche escreveram ao presidente da ARSLVT a alertar para os riscos para a saúde dos utentes com a mudança temporária de instalações, explicando que nesse segundo piso funciona o internamento do hospital, informaram os sociais-democratas em nota de imprensa.

“Estamos a falar de pessoas em situação vulnerável, como crianças, idosos ou grávidas [utentes do Centro de Saúde], que ficarão expostos a riscos para além do que seria necessário ou razoável”, além dos problemas para o bom funcionamento dos dois serviços que o funcionamento no mesmo piso acarreta, sublinhou o vereador Filipe de Matos Sales.

Questionado na última assembleia municipal, o presidente da Câmara de Peniche, Henrique Bertino, disse que está a acompanhar a situação, adiantando que reuniu com a ARSLVT, a quem sugeriu em alternativa o recurso a contentores, solução para a qual “não havia verbas”.

Questionada pela agência Lusa, a ARSLVT esclareceu que as salas de espera e de admissão de utentes são distintas.

Também as salas destinadas a consultas dos cuidados primários localizam-se na ala do segundo piso oposta à ala ocupada pelo internamento, sendo cada um servido por portas diferentes.

A ARSLVT explicou ainda que “o circuito interno dos doentes internados não é feito por aqueles acessos, pelo que, não se prevê contactos próximos ou exposição prolongada a agentes biológicos diferentes daqueles que se encontram na comunidade”.

O centro de saúde de Peniche, no distrito de Leiria, tem inscritos 28 mil utentes.

 

FYC // MCL

Lusa/Fim

Fonte: VIP - Oeste Global - Jornal Oeste Online / Lusa - © Direitos Reservados (conteúdo exclusivo protegido por contrato)
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar login, ou registar-se, para poder comentar este conteúdo.
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar