08-06-2021 Imprimir PDF     Print    Print

Novo hotel de cinco estrelas no verão de 2023

A transformação dos Pavilhões do Parque, nas Caldas da Rainha, num hotel de cinco estrelas deverá ficar concluída no verão de 2023, estimou a autarquia, que aprovou o projeto do Montebelo Bordallo Pinheiro, que representa um investimento de 15 milhões de euros.

“O projeto foi aprovado na generalidade e já tem quase todos os pareceres favoráveis, o que permite estimar que, dentro de um mês, sensivelmente, a empresa possa levantar a licença de construção”, disse à agência Lusa o presidente da Câmara, Tinta Ferreira.
A reabilitação dos Pavilhões do Parque das Caldas da Rainha, aprovada por unanimidade, prevê a construção de um hotel com mais de uma centena de quartos, nos edifícios centenários concessionados pela autarquia ao Grupo Visabeira.
O hotel ocupará uma área de 15.500 metros quadrados e contemplará uma ligação entre o Céu de Vidro e a antiga Casa da Cultura, bem como a construção de um edifício multiusos no local onde em tempos existiu uma sala de cinema (Salão Ibéria).
O contrato de concessão determinava que o projeto teria que ter a aprovação da Direção-Geral do Património Cultural, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo e do Turismo de Portugal, entre outras entidades chamadas a pronunciar-se na sequência da aprovação prévia votada pelo executivo em novembro de 2019.
“Falta apenas o parecer da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, mas todo o projeto foi feito com base nos requisitos de segurança discutidos em várias reuniões prévias, pelo que se espera que não venham a existir dificuldades na sua obtenção”, afirmou o autarca.
A confirmar-se o prazo de cerca de um mês para a atribuição da licença, “a obra poderá arrancar ainda este verão e ficar concluída no prazo de dois anos”, estima Tinta Ferreira.

“O projeto foi aprovado na generalidade e já tem quase todos os pareceres favoráveis, o que permite estimar que, dentro de um mês, sensivelmente, a empresa possa levantar a licença de construção”, disse à agência Lusa o presidente da Câmara, Tinta Ferreira.
A reabilitação dos Pavilhões do Parque das Caldas da Rainha, aprovada por unanimidade, prevê a construção de um hotel com mais de uma centena de quartos, nos edifícios centenários concessionados pela autarquia ao Grupo Visabeira.
O hotel ocupará uma área de 15.500 metros quadrados e contemplará uma ligação entre o Céu de Vidro e a antiga Casa da Cultura, bem como a construção de um edifício multiusos no local onde em tempos existiu uma sala de cinema (Salão Ibéria).
O contrato de concessão determinava que o projeto teria que ter a aprovação da Direção-Geral do Património Cultural, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo e do Turismo de Portugal, entre outras entidades chamadas a pronunciar-se na sequência da aprovação prévia votada pelo executivo em novembro de 2019.
“Falta apenas o parecer da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, mas todo o projeto foi feito com base nos requisitos de segurança discutidos em várias reuniões prévias, pelo que se espera que não venham a existir dificuldades na sua obtenção”, afirmou o autarca.
A confirmar-se o prazo de cerca de um mês para a atribuição da licença, “a obra poderá arrancar ainda este verão e ficar concluída no prazo de dois anos”, estima Tinta Ferreira.
Tags:

 
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar