20-03-2019 Marlene Sousa Imprimir PDF     Print    Print

Governo pressionado para construção do novo Hospital do Oeste

Na cerimónia de inauguração do novo Centro de Saúde do Cadaval o JORNAL DAS CALDAS questionou a ministra da Saúde, Marta Temido, que acompanhou o primeiro-ministro, António Costa, sobre o tão esperado novo hospital para servir a região Oeste.

Vítor Dinis, da Comissão de Utentes do CHO, solicitou ao primeiro-ministro uma audiência para falar do novo hospital
Para a ministra, a primeira coisa que é importante realçar é que o Centro Hospitalar do Oeste (CHO) tem desde 2018 um novo estatuto de Entidade Pública Empresarial, tendo em conta que era um dos poucos centros hospitalares do país que ainda tinha o estatuto do setor público administrativo tradicional. “O que se está a fazer é sedimentar o modelo organizacional de empresarialização do CHO. Isso não prejudica que haja uma expetativa destas comunidades relativamente a infraestruturas novas. Mas isso é um caminho que terá de ser percorrido em termos de localização, carteira de serviços e de investimento. Há um conjunto de trabalhos que vamos começar a desenvolver relativamente a essa expetativa”, disse Marta Temido.
“Vamos continuar a conversar com os autarcas para perceber de que forma o poder central e autarquias locais podem fazer um melhor trabalho para as necessidades assistenciais das populações”, adiantou.
Os autarcas do Oeste compareceram em peso e conversaram com a ministra da Saúde sobre a construção do novo Hospital do Oeste. O presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras revelou aos jornalistas que está aprazada uma reunião a curto prazo com a governante para analisar este processo. O autarca acredita que haverá consenso entre os autarcas da região quanto à futura localização do novo hospital.

Vítor Dinis entregou carta ao primeiro-ministro

Vítor Dinis, da Comissão de Utentes do CHO, aproveitou a presença dos governantes e entregou ao primeiro-ministro uma carta a solicitar uma audiência para falar sobre a necessidade urgente de começar a pensar na construção de um novo hospital para o Oeste.
Ao primeiro-ministro disse que “a construção do novo hospital nunca será antes dos próximos dez anos e será muito importante que se criem condições a nível de pessoal e equipamentos para que os utentes passem a ser melhor atendidos e com outras atenções, até a conclusão do mesmo”.
Também pediu uma reunião com a ministra da Saúde para falar das graves preocupações com a saúde no Oeste.
“Nunca devia ter acontecido a junção do hospital de Caldas da Rainha com Torres Vedras e Peniche. Só teve resultados financeiros, em prejuízo da saúde, com mais falta de recursos. Deu origem ao encerramento de muitas valências, obrigando o transporte de utentes de um lado para o outro e perderam-se camas. Os doentes estão a ir-se embora, deslocam-se ao particular ou a hospitais de maior confiança, que não sentem no CHO”, lê-se na carta entregue.
Tags:

 
pub
Classificados LUCKY PANDA.BIZ
Opinião
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar